23 de fevereiro de 2009

A semana

Se hoje fosse segunda,
Rimaria com terça-feira;
Pois se das datas, o domingo é primeira,
Me vejo no tédio da quarta-feira.

Meio de semana, ansiedade e inquietação.
Quinta-feira eu rimaria agora,
Mas não acho terminação.

Sexta-feira, dia indutor de ressaca.
Quase me acidento na placa.

Sábado, sem poesia.
Enfim carnaval!
Mas ainda não tenho fantasia.

22 de fevereiro de 2009

Num vôo.

Vez em quando tenho a sensação de que posso voar.
Talvez por ser desde sempre um desejo meu.
Imagino como seria ver tudo lá do alto, esvoaçar os cabelos em meio as nuvens.
Devaneio? Talvez.
Se pessimista fosse, diria que é a meu corpo preparando-se para ver tudo do alto após a morte.
Mas em um abençoado otimismo, vejo como se fosse uma visão do presente momento projetado à partir dos bons momentos.

21 de fevereiro de 2009

De uma frase...

Se um dia alguém me dissesse que o mundo dá voltas, eu lhe diria: Talvez...
Talvez se eu me entregasse ao passado e, amargurando meu presente, me cegasse ao meu futuro.
Talvez se uma tristeza esquecida tomasse conta de mim, e me fizesse entender apenas a dor, e esquecer o que é amar.
Se o mundo realmente dá voltas, não sei. Isto só o tempo me dirá. Me entrego ao presente, almejando um futuro e semeando um passado.
Mas... semear o passado?
Sim, semeio, pois não é só o futuro que posso ainda fazer... pois o que faço no presente logo se torna passado.
Lição de vida? Talvez. Mas é o passado, que um dia semeado por você mesmo, que o torna quem você realmente é hoje.
O futuro? É uma reles imagem projetada à partir do presente, se tornando, um dia, passado.
Pense nisso.

18 de fevereiro de 2009

Viva o lado bom da vida!

Faço o que quero,
Não tenho dono.
Vivo pelo mundo
Me aventurando,
Tristezas abandono,
Fico pela rua,
Vendo o dia amanhecer.

Carrego comigo,
Apenas minha velha mochila
E meu desejo de viver.

Os Cinco Sentidos

Em certo dia, uma mulher me perguntara se eu saberia lhe dizer quais eram os sentidos humanos. Perguntou se eu ao menos sabia quais eram.
Minha resposta foi simples:
- Claro que sei professora! E lhe adianto que são cinco!
Ela com olhar debochado me diz:
- Não me diga! Então fale-me quais são.
Disse-lhe então que os cinco sentidos são: sentir fome, sentir frio, sentir-se amado, sentir saudade e sentir-se triste.
Ela riu.
Disse-me que nunca tinha escutado tal besteira. Achei isso o maior insulto da minha vida e então me justifiquei.
Disse a ela que com a fome, atiçava-me o paladar, sentindo como nunca um bom sabor em algo que coma. Com frio, despertaria meu tato, sentindo como nunca a veludes de um bom cobertor. Já o fato de sentir-se amado, me despertaria a visão, vendo em uma mulher uma linda imagem, independente de sua beleza. Sentir saudade me faz apurar meu olfato, para poder sentir o cheiro das pessoas que me querem bem, mesmo de olhos fechados. E o mais importante, sentir tristeza, que me desperta a esperança, de meus ouvidos escutarem alguém um dia me dizer: "Tome aqui garoto, coma este pão".

17 de fevereiro de 2009

Desistir nunca

Quando a ultima gota de suor cair,
Significa que alcançou seu sonho!.

16 de fevereiro de 2009

"point and shoot"

Diversos tipos existem,
Todas muito lindas,
Pequenas, grandes.

Tem aquelas descartáveis
Aquelas amadoras,
Ou as domesticas mesmo,
Tem umas, que servem para uso científico,

Algumas mais pesadas e menos silenciosas,
Outras chegam a ser assustadoras,
E se parecem com as do século passado.

Nossa, existem, realmente inúmeras delas!
Basta simplesmente...
Escolher a câmera certa.

Pleonasmo

Num dia qualquer,
Sai para fora, e avistei com meus olhos,
Você de longe.
Vinha lentamente em minha direção,
Logo ia amanhecer o dia,
Onde passaste a noite, eu penso.

Enfim você chega, e me olha com os olhos,
Pedindo colo, olhar carente,
E eu te encaro de frente,
Passo a mão em sua cabeça e digo:



Entre rex já vai amanhecer.

Narcisista

Perfeição, Beleza, Inteligência,
Estas são minhas qualidades.
Meu brilho te ofusca,
Minha beleza te assusta.
Olhos lindos, corpo esbelto.
Rosto perfeito.
Não há ninguém igual a mim.
Sou superior a vocês,
Sou desejada, e amada por muitos,
Sou simplismente,
PERFEITA!.

10 de fevereiro de 2009

Bêbado

Hoje pela manhã, tudo como sempre.
Passo manteiga, e molho o pão
Na pinga.
Já me embriago logo pela manhã,
Não consigo evitar, tornou-se hábito.
O grande problema é disfarçar o mau-hálito.
Vez que outra alguém me pergunta:
- Por quê bebes todas as manhãs?
Respondo simples, breve e curto:
- Ic!

9 de fevereiro de 2009

Novo Velho Amigo

Venha cá, meu amigo.
Lembre-se de quando lhe falei "Fique comigo".
Ao teu lado, compreensão e nenhum perigo.
Sei bem que nunca teve juízo,
Mas se estou contigo, não é preciso.
Então meu amigo, lhe dou o aviso.
Se um dia esquecer nossa amizade,
Saberei que não é falsidade,
Deve ser necessidade.
Ouço Chico Buarque, lembro de ti "meu guri"
Me inspiro pra escrever uns simples versos de fonética,
Rimas bonitas são estética,
Mas pra falar de ti, nada mais do que poética.

Amigo! Venha para cá, conversar comigo.
Faz tempo que não levo uma simples proza contigo,
Mas deve saber, que no meu peito tens um abrigo!
Só deus sabe o valor que tem um amigo antigo.
Meu amigo, perder-te um dia seria um castigo!

--------------------------------------------------------
Depois de ouvir um Chico Buarque, rimar fica até fácil.

8 de fevereiro de 2009

Violência

Por quê será que não posso voar?
Os pássaros voam, tendo cérebros tão pequenos.
Vôo então em sonho,
Voarei bem longe, o mais alto que puder.
Sentirei a brisa que passa e me arrepia,
Melhor que me arrepiar com o medo que sinto aqui embaixo.

7 de fevereiro de 2009

De uma triste lembrança


De uma triste lembrança
Me dou ao luxo de que seja a sua.
Se um bom momento se foi,
Nada mais importa.
Seguirei sozinho, pela rua.
E se um dia eu cair,
Será porque tropecei em meu caminho,
Mas não por ter lembranças suas.
Pois trilharei isso tudo sozinho.

6 de fevereiro de 2009

Eu



Sou um anjo caindo
Em direção ao solo fértil.
Ao cair posso morrer,
Mas se assim for serei plantado.
Fruto do amor, purificado em teu peito.
Não sei se planto minha alma,
Eu se me salvo em um bater de asas.

5 de fevereiro de 2009

Elegance


Depressa!
Quero ver o que se passa!
E se quem passa for alguém,
Que seja ela, pois será bom a beça.
Ver seu rosto, que com tal beleza ameaça.
Beleza mestiça,
Que se auto realça.
E mesmo com muitas tendo chance.
Quero que seja ela
A quem meu coração alcance.
Se assim for, sinta-se em casa.
E em meus braços descanse.

4 de fevereiro de 2009

Lembranças


Lembranças de mim mesmo pelo tempo;
Ou de um filme visto a dois.
Avisto em lembranças teu rosto,
Tuas sardas.
E como um dia lhe disse, hoje não lembra.
Não com o mesmo valor que me vem à cabeça.
Minha mente, seus passos, seu corpo, um abraço.
É tudo que se seguiu após.
Lembranças,
É o que me resta.
Sei que não é em mim que você pensa.
E nem ao menos fui especial.
Mas se hoje à noite eu sonhar contigo,
Tentarei acordar,
Enquanto forem apenas lembranças,
Não carregarei mais comigo.

3 de fevereiro de 2009

A voz. Mulher.


Ah! Aquela voz! De mulher! Não de menina...
Ecoa na mente, e o corpo,
Fascina!
Menina dantes singela, bonita;
Quando mulher, em corações flutua,
Conflita.
Conflita o que se quer, com que se teve.
O que se teve com o que se tem.
E o que se tem com o que se vê:
Como és bela mulher!

2 de fevereiro de 2009

Complexidade Longa


Ao dia minha mente flutua
Pensando em momento atoa
O olhar avista a beleza tua.
Dilato pupila à figura nua.
Beleza palpável és o corpo teu.
Em meio, meu coração batia.
Entrego-lhe já que és meu.
Enquanto sem ti, minha alma é vazia.

1 de fevereiro de 2009

Cotidianiando



O raiar.
A preguiça.
O café.
O relógio.
Trabalho.

O meio.
O sol.
O prato.
O retorno.
Cansaço.

O fim.
A volta.
O rosto.
O sorriso.
Abraço.

A noite.
O sereno.
O escuro.
Teu lado.
Um amasso.