31 de dezembro de 2008

Pai

Ele pode não ter super poderes,
Não voar, por entre as nuvens,
Não ter peito de aço,
Não salvar donzelas indefesas,
Mas é meu super-herói.
Quando preciso dele,
Ele vem "voando" para me ajudar,
Me ajuda no que for.
Se estou em perigo, ele vem pra me salvar,
Se preciso de um amigo,
Ao meu lado ele está,
é tão bom ter um super-herói,
Particular.

Tempo Novo

Ano Novo, vida nova.
Um ano, meses, semanas
O dia, a hora,
passou.
Ou quem sabe atrasou?
Se uma hora tem 60 minutos,
E na virada me sobram 4...
Por quê?
Já me perdi nos cálculos!
Vou voltar pra minha lentilha.

30 de dezembro de 2008

Feliz Anus Novo

Cara, que vontade louca de escrever. Fiquei doente logo no final de ano, aguentando minha mãe tendo ciúmes barato das flores nada baratas que dei à minha namorada.
E foi assim, doente, que passei esses últimos dias de 2008. E graças à isto, pude ver o quão bom, e o quão ruim o ser humano é capaz de ser. Pensei milhares de vezes (acho que pensarei nisso a vida inteira) no momento em que a febre me pegou em um pior momento, me fazendo delirar como nunca, enlouquecendo. Olho pro lado, e vejo o olhar aflito dela: minha namorada. Que com um olhar inocente me mostrava que acontecendo o que acontecer, estaria ao meu lado.
Por outro lado, ontem choveu. Tá mas o que tem isso a ver? Pois bem, eu no papel de doente, deitado em minha cama, fechei a janela logo após o meio dia pois sabia que iria chover. Minha mãe sai. Deixa tudo aberto, e quando chega diz que a culpa de estar tudo molhado é minha. Resultado: Eu não discuto porque sei no que iria dar. Vou até a mesa onde está o pão que ela comprou. Ela vê eu me aproximar do pão. Ela diz que não irei comer o pão. Eu pego a sacola e vou comer o pão. Ela arranca da minha mão, rasgando a sacola, joga num canto, pisa em cima e depois SENTA EM CIMA DO PÃO PRA QUE EU NÃO COMA!
Dizem que o pior pão é o pão-que-o-diabo-amassou, mas ontem eu descobri que existe um bem pior.
Agora o que eu poderia pensar vendo isso acontecer? Ficar com raiva? Ficaria com raiva apenas se não tivesse um cérebro.
Raciocinei então: O ser humano sente-se pasmo, em incrível pavor diante da morte, diante do perigo que ela representa. Minha mãe está com uma, duas, sei lá que doenças no estômago ou esôfago. Minha mãe é a rainha da chantagem, sempre foi, mas apensar de ela não me falar ao certo o que tem realmente, sinto que é verdade, e que se ela não tomar os remédios poderá morrer.
O fato é que sem dinheiro ninguém compra nada, nem bilhete de loteria, e apesar de ter quatro irmãos, tenho absoluta certeza de que caberá a mim correr atrás disso. Pois apesar de ser o "filho-rebelde-que-brotou-do-inferno" durante 23:57h do meu dia, sendo reconhecido como gente em 2% dos casos, tenho coração e (acreditem!) SOU GENTE!
Então se este ano que está por vir agora pra mim já está começando em forma arredondada que lembra um sol (pra não dizer um cu), desejo a todos um Feliz Anus Novo. Vou precisar, já que quem vai ter que aguentar o aipim com terra e tudo vou ser eu como sempre...

27 de dezembro de 2008

Nós três

Sentados na grama,
Nós nos amamos,
Esquecemos os problemas,
Vivemos um sonho.
Quando estamos juntos,
Me realizo,
E saio da depressão.
É tão bom sairmos juntos,
Eu você e,
Meu violão.

24 de dezembro de 2008

Depois da Ceia

Ah! A ceia de Natal!
Somente eu e ela,
Minha paixão.
Arroz com aquelas frescuras,
Saladas enfeitadas,
Tudo foi ela quem preparou.
Mas o que ela mais gostou
Foi o peru.

Carta ao Papai Noel (Dificil te ter)

Mês passado, já fui me adiantando,
Peguei logo caneta e papel, e fui escrevendo.
Escrevi ao Papai Noel,
E pedi imediatamente meu presente.
Não pedi brinquedos, pois não brinco mais,
Não pedi roupas, pois tenho o suficiente,
Não pedi dinheiro, pois isto se conquista,
Pedi apenas você.
Nada à mais,
Apenas você e seu amor.

Querer demais

João era um personagem comum.
Que vivia chateado,
Pois era motivo de piada.
João se queixava, por ter um nome simples,
E apenas fazer par, com Marias, pés-de-feijões.
Então, um dia, cansado de sua vida comum,
João, tentou algo jamais feito antes.
Ele se comunicou com seu cartunista, e exigiu,
Que imediatamente, fosse desenhado perto de sua choupana,
Um cartório.
Logo o cartunista, abismado com tamanha autoridade, do pequeno e comum João,
Atendeu, sem muito entender o pedido do jovem.
E joão, logo foi entrando no cartório,
Minutos depois, sai João, com um sorriso estampado em sua face,
E diz ao cartunista com ar de poder:
-Agora você vai ter que me respeitar, pois me chamo Napoleão Bonaparte!!
O cartunista, ficou sem saber o que fazer,
Pensou, pensou e tomou uma decisão,
Voltou ao desenho e chamou o João, que agora era Napoleão,
-O João! venha aqui!
Disse o cartunista,
E nisso com o peito estufado, e com cara de brabo, aparece ele, dizendo:
-Meu nome é Napoleão Bonaparte!
E nisso saltam por de traz dos arbustos, soldados armados até os dentes que gritam:
-Pegamos! Pegamos! Prendemos Napoleão Bonaparte.




É tem vezes que é melhor ser um simples joão...

Querido...

Querido amigo, tens sido fiel a mim à anos,
Sempre me ouve calado,
Sabe meus segredos e meus medos mais profundos.
Você está comigo, desde minha infância,
Presenciou minha primeira paixão,
Meu primeiro beijo,
E meus momentos de solidão.

Me fez amadurecer,
Acompanhou o meu crescimento,
E me viu sofrer.

Aiai!
Grande amigo,
Não sei o que fazer,
Pois depois de tanto tempo,
De você, tenho que me desfazer,
Pois não há mais espaços,
Para eu escrever.

Ninfomaníaco

Acordo em meio sonho, e olho pro relógio,
Nele marca, 4:25.
Tento te acordar e nada,
Ouço apenas tua respiração ofegante,
Beijo teu pescoço, abro tua blusa,
E nada de você acordar.

Movimento teu corpo,
Te ajeito na cama,
E nada de você acordar.

Até que de repente,
Você se vira e pergunta:
Que foi amor?
Rapidamente, lhe respondi:
-Quer transar?

Amizade? Amizade é pra sempre...

Brincadeiras, risos, segredos compartilhados,
Era assim nossa amizade,
Te tiro pra irmão!, agente dizia,
Mas um dia, a amizade que era pra sempre, acabo.

Cada um para um lado,
Nada de risos,
Nada de segredos.

Os tempos foram passando, e eu me lembrando,
De besteiras e aventuras que fizemos,
Era perigoso, mas era divertido.

Durante dias, meses, anos,
Fiquei pensando, o que teria acontecido,
Para uma amizade acabar assim,

Bom, mas como diz o ditado:
Verdadeira amizade não tem fim!
E, não tem fim mesmo,
Pois, numa noite qualquer.
A janelinha subiu,
E contigo voltei a falar.

23 de dezembro de 2008

Amor

O amor é como a borboleta,
Quanto mais o perseguimos, mais ele escapa.

Medo

O maior erro que cometemos na vida,
É o de ficar o tempo todo,
Com medo de errar.

Velhice

À partir de uma certa idade,
Os anos passam voando e os dias,
Parecem intermináveis.

Saudade

Se a saudade invadiu teu coração,
Agradece a Deus,
Porque já tiveste bons momentos.

Ações

Uma boa ação praticada de coração,
Vale mais que mil ações,
Na bolsa de valores.

Pensamentos

Empresta as asas, de tua imaginação,
Para quem julga ser impossível voar.

Teste

Atenção!
Isto é apenas um post de teste.
Conclui-se que serve para testar. :B
Logo, bata com a testa o máximo de vezes até que eu certifique que já foi bastante testado.
BlogBlogs.Com.Br

Estrela

Ontem a noite olhei fixamente para o céu.
Fiquei olhando tanto aquela estrela,
Imaginando como deveria ser
Linda a vista lá de cima.
Ainda mais sendo à noite,
Com todas aquelas luzes
Das casas, dos carros...
Deve ser tão linda a vista dela,
Daquela estrela.
Pode ver tudo lá de cima,
Privilegiada.
Não podia compartilhar com ninguém
Toda aquela bela vista.
Estava sozinha em meio ao céu.

21 de dezembro de 2008

Inocência

Beijo na bochecha,
Mãos dadas,
Sorriso no rosto,
Felicidade estampada.
Oba! oba! ganhei uma namorada.

Corra !

Corro, sigo em frente com muita pressa,
As pessoas à minha frente, não conseguem entender.
Cada hora fica mais difícil,
Vejo degraus e muitas pessoas,
Olho pra cima, e cada vez me perco mais,
Acho que não vou chegar à tempo.
Meu coração bate forte,
Começo a suar,
Respiração ofegante,
Meu Deus! será que vou chegar a tempo?

Até que enfim, está perto,
Corro, o mais rápido novamente,
Subo escadas, abro a porta
Sento na privada,
E elimino o almoço.

Sentimento contrario

Ai, ai...

...Amar, amar!,
Tão belo , tão grandioso,
sentimento gigante, mas também perigoso.
Amor, amar, amar.

Pena que muitos só sabem,
Odiar.
Odiar, faz mal,
Odiar é coisa de débil mental.
Pra que guardar mágoas?
Porque odiar em vez de amar?
Sentimento otário,
Não sinta, evite,
Fuja desse,
Sentimento contrario.

---------------------------------------
sem muito tempo pra escrever,
faço o que posso!
perdoem a falta de criatividade

continuem lendo.
Obrigado

Rotina, repetitiva, resumida

Acordar, levantar, banho,
café, dentes,
Sair, ônibus,
Trabalhar,
Chefe, relatório,
Stress, ônibus, em pé,
Casa, tv, comida, banho,
cama, mulher, sexo,
Decepção,
Dormir.

Redenção!

Tire folga,
Vá de taxi,
Vá de carro,
Ou quem sabe de ônibus.
Vá correndo, se morar perto,
Leve a namorada, e não esqueça do cãozinho,
Leve a família.

Vá com uma turma,
Ou talvez sozinho.
Leve um lanche,
Faça um piquenique.
Ande de bicicleta,
Beba vinho com amigos
Namore na grama,
Se divirta, seja livre.

Rir, brincar, sorrir,
O que importa é se divertir.
Não se importe com comentários,
Se liberte.

Tire fotos,
Mas não se arrisque,
Leve pilha,
Bem vindos caros amigos
Ao parque Farroupilha.

19 de dezembro de 2008

Bater, bater, bater...

Não aguento mais essa vida.
O dia inteiro a mesma coisa.
Passo a manhã, a tarde, o dia inteirinho batendo.
Parece que é insaciável.
Quando penso que posso parar, tenho que bater mais uma.
Se vejo beleza feminina então?
Aí sim! Acabo batendo mais rápido.
Com mais vontade, confesso.
Ah se batessem ao menos uma por mim!
Bater, bater e bater...
Como é monótono ser um coração.

18 de dezembro de 2008

Ponto e Vírgula ( ; )

Me sinto bem. Simplesmente bem por escrever. Não quero parar. Mas o ponto me persegue.
Parecer tentar por um fim. Tenta me dar um limite. O limite do . Pronto! Já não mais é palavra. Apenas um . Tentei desviar da vírgula, em vão. Já não bastava apenas o . Agora preocupação com ;. Já não são pontuação. Tentam agir como palavras. A , e o . Tornando assim, o final mais próximo. Mas tenho minhas táticas. Talvez,seeuescreversemumespaçosequer. Pronto! A , conseguiu entrar logo de cara, mas acabo me rendendo no . final

Difícil

Escrevo.
Escrevo.
Escrevo.
Escrevo.
Escrevo.
Escrevo.
Respiro.
Escrevo.
Escrevo.
Escrevo.
Escrevo.
Escrevo...

17 de dezembro de 2008

Em ti...

As vezes me afogo em seu sentimento.
Sentindo prazer no simples fato
De te tocar com meus lábios.
Me envolve, me aquece.
Me embriaga, desperta
Ao sentir sozinho
Seu doce sabor
De um belo vinho.

Knockout

Luvas de couro, protetor de silicone,
Bater tão forte, quanto o silvester stallone,
So isso que me vem na cabeça.
Ação, tensão, e uma pitada de nervosismo.
Cara de mal, dentes apertados, e punhos firmes.

Soa o gongo, mais uma luta começa,
Dois lutadores, algo incomum,
O desejo de ganhar.
Jab, direto e depois um kick...

...Sim, estou indo bem,
Acho que mais uma luta, eu vou ganhar.

Cada, golpe que tomo, parece me deixar zonzo,
puuts!
Iniciou-se a contagem..

A minha volta, vejo pessoas desconhecidas,
Não tenho força, pra levantar,
A luz está sumindo,
Só escuto ao fundo uma voz,
Que conta, vagarosamente..

1...2...3...4..5...6...7..8..9..10. Knockout .

Enxugando

Uma, duas palavras.
É o bastante.
Ou será que "são".
Cada verso;
Com cinco no máximo.
Antes do ponto.
Nada mais do que cinco palavras.
Pronto! Errei.
Acabei com seis.
Compensarei então.
Com apenas.
Uma.

Rejeição

Te pego, te seguro,
Te chupo,
Acabo contigo.
Te lambo, te mordo,
Te sugo,
Até cansar.
Te olho, te encaro,
faço cara de nojo, e me dou conta,
Não gosto de sorvete.

Saudades

Acordo e olho sua foto,
Que ao meu lado está,
Perto do radio, ao lado do relógio, no meio dos copos,
Entre as bebidas que tomei,

Você saiu da minha vida,
Do mesmo modo que entrou,
De repente!

Não lhe culpo, pois no fundo a culpa foi minha,
Minha consolação é saber, que aquele homem, cuidara bem de ti.

Aiai, nesta foto você está tão linda,
E todos falam, como eu estou feliz nela,
Estou encima de você, e você com os faróis acesos.

Depois de tamanha dor,
Aprendi a lição,
Não cometerei o mesmo erro,
Jamais vendo outro carro.

Sua boca estrelada

O céu, estrelas, um som;
Tua voz.
O sereno que cai, e me resfria.
Teu olhar é o vento
Que me corta a face.
Que me congela a alma.
Mas de todo céu,
Ainda escolho o céu de tua boca.
E em sua respiração ofegante,
Me beija como a nenhum outro.
E sem ver o céu,
Passo a ver estrelas,
Que em teu olhar, se apagam,
E me consomem.

Você

O que fizeste
Com as flores que te dei?
Certamente murcharam.
Certamente murchariam.
Mas a flor de nosso amor,
Essa não deveria murchar.
E murchou.

Amargura me causaste.
E mesmo assim ainda tenho,
Algo sólido para relembrar.
Nem tudo que passou foram flores,
Mas as poucas pétalas,
Eu mesmo cuidarei para que não murchem.

Sua foto, ainda está no mesmo lugar,
Da gaveta.
Sua imagem,
Também.

Messenger #2

Coelho diz:
Vou te comer!

Coelho diz:
Posso?

Coelho diz:
Vem cá então delícia...

OVOdaPÁSCOA diz:
...

16 de dezembro de 2008

Sensação

Quando sinto você, me dá um arrepio,
Sinto você descendo, por mim, cada vez mais pra baixo.
Só você me deixa assim, "arrepiado".
Fico sem saber o que fazer,
Não sei se me seco,
Ou se derramo sobre mim,
Outra pedra de gelo.

Desejos

Queria ficar contigo, só por mais um dia,
Sentir tua pele, colada a minha,
Queria ouvir sussurros ao pé do ouvido,
Queria que minha vida, tivesse mais sentido.

Sinto falta do teu carinho,
Teu sorriso.
Sinto tua presença pela casa,
Quero e tento, esquecer daquele dia,
Aquele dia horrível, no qual você partiu.

Longe de você, me sinto como um pássaro sem asa,
Vem pra mim, volta pra casa.
Diz que isso não passou de um sonho.

Acordo, me reviro na cama, e lembro,
Lembro de noites contigo sem dormir,
As loucuras ao por do sol.

Preciso te ter de volta.
Preciso te ver,
Mesmo que pra isso,
Eu precise igual a você
Morrer.


---------------------
Para refletir.

Desenho

Certa vez, tentei aprender a desenhar. Mesmo sabendo que desenhar é um dom, passei a tentar.
Segurava o lápis, ainda meio sem jeito, e nos primeiros traços, formava-se algo. Um rabisco. Um desenho abstrato.
Certamente não era minha intenção desenhar algo abstrato, mas sim desenhar algo que me desse algum sentido ao olhar.
Levei horas, dias, semanas olhando aqueles rabiscos e não entendia o que eram, o que significavam.
Resolvi então passar nanquim nos traços mais fortes, e nanquim vermelho nos traços mais suaves.
Formava-se finalmente algo compreensível: Rabiscos de cores diferentes...
Mas não me dei por satisfeito e fiquei a observar com calma o que havia naquele pedaço de papel sulfite.
Então, após olhar diversas vezes, e pensar no que passava pela minha mente quando segurei o lápis pela primeira vez para enfim desenhar, lembrei-me.
Pensava em algo que pudesse salvar o mundo do momento em que está. E enfim veio a resposta: N-A-D-A.
O preto então obteve significado: simbolizando famílias inteiras, povos inteiros de luto.
E o vermelho, ao contrário do que muitos pensariam, para mim não significava o sangue, mas sim, minha vida. Minha vida impotente diante disso tudo, e que um dia pagará os pecados de outros tantos...

14 de dezembro de 2008

Amigo

Você rapaz,
Que sempre esteve ao meu lado.
Sempre me ouve, calado,
O choro de minhas mágoas.
Sei que é difícil aguentar
Alguém falar sobre seus inúmeros problemas...
Entenda-me agora então,
Com seu silêncio de sempre.
Quase um dom.
Mas agora,
Traga-me mais uma tequila
Garçom.

12 de dezembro de 2008

11 de dezembro de 2008

Seu encanto

Foi pelo seu olhar,
Que me apaixonei.
Me olha, me engole.
Olhar que, com um ar ingênuo,
Me domina por completo.
Mas em conjunto com seu lábio, macio,
Transforma-se em paixão.
Outra, em você mesma
Sem sequer perder o encanto
De me fazer te olhar
Como a uma flor.

No quarto

Ouço tua voz, me chamando.
Sinto sua boca,
Ao sussurrar que me ama.
E em sua cama, no silêncio,
Sua voz é o único som,
Ecoa.

Sua voz doce, tímida.
Que ao falar,
Tem um olhar inocente...
Ouço.
Mais e mais.
Quer saber?
Cala a boca,
E me beija!

Trás mais uma

Sinto estar apaixonado.
Paixão pelo seu corpo.
Moreno.
Suas curvas que, as vezes poucas,
Não me deixam ver outras.

Posso estar sozinho,
Ou acompanhado.
O que realmente importa,
É que esteja num dia quente
Ao meu lado.
Minha linda loira,
Gelada.

10 de dezembro de 2008

Acreditar e sonhar

Quando o sol insistir em se esconder atraz da montanha,
Não desista,
Quem acredita sempre alcança.

8 de dezembro de 2008

Funil

Neste momento tento escrever palavras para descrever o momento.
Mas por serem muitas preciso ir me livrando de algumas.
Palavras vão sendo deixadas de lado para,
Enfim diminuir os caracteres da frase.
Mas ainda são muitos. O que fazer?
Espremo, espremo. E nada.
Pouco a pouco chego em
Apenas uma palavra.
O nome dela é
Felicidade.

Amando

Amor, amada, amorosa.
Amoreco, amorzinho;
Apetitosa.

Paixão, apaixona, desejo.
Olhar, um suspiro,
Uma boca, estala
Um beijo!

Te amo!

Dia-a-dia na Amazonia

Nem bem clareou, e já escuto barulhos,
O chão treme, pássaros fogem,
Opa ! já sei,
É o desmatamento começando.

7 de dezembro de 2008

Conseqüências

Anos de casado.
Trabalho excessivo.
Casamento desfeito.
Vida perdida.
Arrependimento batendo.

A viagem

A luz está se afastando de mim,
Sinto um vazio tomando conta do meu coração
Será porque estou partindo?
Há alguns dias, podia jurar estar feliz,
Mas acho que novamente me enganei.
Porque isso está acontecendo?
Porque isso está acontecendo?
Não fui bom o bastante?
Perdão, perdão se lhe magoei,
Perdão, se promessas não cumpri,
Mas estou partindo,
E você ficara aqui,
Ficara, com meu coração, e a eterna certeza que te amei.

Ah se eu pudesse voltar atrás,
e reverter, toda essa situação,
Eu juro, não seria assim
Não seria assim...

Jurei que seria sincero, e querida você também,
Tenho certeza, não estou sendo rude,
E sim tomando uma atitude.
Me sinto tão ligado a você
Você sabe, eu sou um tremendo doido por você,
Estou tão envolvido e você sabe.
Mas tenho que partir.

6 de dezembro de 2008

Ritmado

A festa, que o dia clareia.
A noite que tem sua foz no dia.
O dia que vira noite,
Em um piscar de olhos que duram 12 horas.
Meio-dia, almoço, tarde, festa.
A tarde, tardia, tardou;
Entardecer.
A noite, noitada,
Penumbra.
Deitada.
O grito, o uivo, a calada.
Casal, cama, cobertas, pelada.
Prazer, escuro,
O silêncio.
A luz, o claro,
Desesperada.
O rosto, o tipo, a façe;
A pessoa,
Errada.

Tá ouvindo?

No rádio escuto ruídos,
Parecem risos,
No relógio marca 13 horas.
Besteiras e baboseiras seguido de uma trilha,
No carro, em casa, ou no radinho de pilha,
Escuto entusiasmado, enquanto alegram meu dia.
Pro relógio eu olho, e desligo o radinho
Pois mais uma vez,
Acabou o pretinho!.

Não se decepcione, as 18 tem de novo,
Trazendo sempre bom humor.
Mestres do riso, é o que eles são
Alegrando todo o povo,
Proporcionando diversão.

----------------------------------------------
Homenagem a galera do Pretinho Básico.
valeu gurizada, pela divulgação do blog no ar.

Boa leitura a todos!.

Ele chegou naquela hora

Não manifeste intenção ao poder
Ele pode descobrir,
E assim será.
Mantenha a calma.
Respire fundo.
Tente disfarçar, a culpa,
O remorso.
E lhe diga que não,
Não é o que está pensando.
E que não foi você
A culpada por bater o carro.


------------------------------------------
Peguei um rascunho do Tato aqui e resolvi terminar o texto.
Coringa

Psicodelismo

Não posso dormir,
Pois sonho e vejo fantasmas,
Na selva de noite não ando
Pois encontro lobisomens,
Não posso dormir,
Pois sonho e vejo fantasmas,
Fantasmas, fantasmas

Negrinho do pastoreio,
Boi-da-cara-preta,
Cuca e mula-sem-cabeça,
Lá vem cavalgando, o cavaleiro sem cabeça,
Cuidado, Cuidado com a besta,

Eu acredito em fantasmas,
Sou super supersticioso,
Acredito em feitiços,
E bruxas, sacis e mestiços,

Lá vem super homem,
Voando, e se achando o tal,
Mas cadê, homem-aranha ou spawn,

Eu acredito em sereias,
Que lançam feitiços nos homi,
Nos homi, nos homi.

Lá vem homem-aranha
Salvando a velhota caduca.

5 de dezembro de 2008

A rima e a amizade

Brigas na amizade,
Existem sim ,
Mas amor entre amigos,
De certa forma, não tem fim
Dor no coração, aperto no peito
Brigar contigo me deixa assim,
Sofro ao imaginar você com raiva de mim,
Sofro ao imaginar que guardas magua de mim,

Lembro que um dia, promessas foram feitas,
Espero que da minha amizade,
Não faças desfeita,
Se errei, me desculpe
Mas digo, se errei também erraste,
Façamos o seguinte,
Te peço perdão e tu diz sim,
Pois um poema de rima,
Não tem fim,
Mas que com muito gosto
Pra Paulinha fiz sim.

Gramatica

Português correto não sei não
Nem mesmo respeito,
Regras de acentuação,
Pontos e vírgulas,
Me atrapalho, faço confusão
Mas pelo menos, expresso
Com erros ou não,
O que vem no coração

Viajem (Obrigado!)

Escuro, sombra, luz opaca.
Carros, noite, estrelas.
Estrada, asfalto;
Uma placa!
Ao lado, um carro.
Um fuca.
Era negro.
Era escuro.
Era preto.
Era pretinho,
Básico.



----------------------------------------
Agradecemos ao pessoal do programa Pretinho Básico da rádio Atlântida.
Leram nosso email no ar, divulgando o blog!
Uma pena que não fui eu quem ouvi (alguém precisa ganhar dinheiro aqui em casa).
Mas agradecemos de coração!
Abraço a todos!
Continuem lendo!

Enfim, Feliz...

Aqui, e em qualquer lugar
Sempre estarei contigo.
Um dia lembrarás de mim
Por ter sido, ou por ainda ser
O único a ter estado
Realmente ao teu lado;
E que nunca pensou no fim.

Fim entre nós nunca haverá.
Mesmo tendo sido você,
O motivo de tanto sofrimento, meu.
A ti, restou-lhe ele;
Alguém sem amor próprio, que dirá por você
Oh! Pobre ingênua!
Condenaste a viver no sofrimento junto à dúvida.

Quanto a mim, vivo hoje algo que me faz pensar.
Penso sobre como seria se ainda estivesse contigo.
Seria meu carma!
Amar, sem ser sequer correspondido em um simples beijo

Hoje sou alguém feliz.
Por não me preocupar mais com isto,
E ser correspondido até mesmo em um suspiro apaixonado.
Posso dizer a todos
Sou amado! E também amo!
Enfim encontrei alguém que me completa,
A metade de meu limão azedo.

Sim, posso não ser o mais romântico,
Mas para mim, que sou um ser do banhado,
Enfim encontrei minha flor roxa.
Flor esta que cresce até em meio ao lixo.
Ao contrário daquela maldita muda de guanxuma,
Que sequer tentava vingar em solo fértil e macio.

Não lhe rogo uma praga,
Mas enquanto minha parte manter-se perfeita,
Que assim seja eternamente.

Aos afobadinhos

Precisamos ir com mais cuidado.
Colocar devagarinho, com amor.
Não precisa ser também algo lento demais.
Tem que ser na velocidade perfeita,
Pra sentir o prazer da maneira certa.
A velocidade perfeita é exatamente
O tempo pra saborear essa cerveja,
Antes que fique quente.



----------------------------------------------------
Desculpem o tempinho sem postar...
É difícil as vezes escrever sem ler um pouco antes.

4 de dezembro de 2008

Goethe

Posso ser campeão,
Ganho títulos que ninguém tem,
Mas o que não ganho é educação
Torcida unida até tenho,
Só não posso sair para comemorar,
Balas de borracha, bombas de efeito moral,
Nossaa! Em vez de defender a policia baixa o pau,
Colorado não sou, mas injusto também não,
Pois no domingo é a vez do meu timão.

3 de dezembro de 2008

Mulheres

Loiras, morenas.
Ruivas.
Tingidas!
Cabelos crespos, lisos;
Encaracolados.
Ah! Quão linda são as mulheres!
Não há como não ter inspiração
Sem te-las por perto.
Mulheres, mulheres...
Por quê são tão formosas?
Muitos homens brigam por seu amor.
Bom, vendo por este lado...
Provocar brigas não é tão belo assim.
Pensando bem,
Devolva já minha costela!

2 de dezembro de 2008

Ultimo dia

Pegar a prancha ir pro mar,
Olhar o vento e surfar,
Ou então quem sabe, dar um rolé de carrinho
O que importa é aproveitar,
Ir pro ringue e lutar, fazer uma boa luta,
Almoçar com amigos, ir ao cinema com a namorada,
O que importa é aproveitar,
Brincar com meu cachorro, rir, correr, pular
O que importa é aproveitar,
Andar de bike bem cedo, ir malhar,
O que importa é aproveitar,
Contar estrelas do céu, pular em poças, praticar rapel
Escorregar no corrimão, gritar na biblioteca
O que importa é aproveitar
Faço tudo o que quero, e sempre quis fazer,
Vivo intensamente antes de amanhecer,
E esqueço esse dia que vou morrer,
Por que hoje o que importa é aproveitar.

Beijo Doce

Doce de leite, caramelo, chocolate
Chantyli, quindim, mel, cereja
Sorvete, mousse, pudim, sundae
Mais uma mordida e me beija

Bagagem

Bom mesmo seria poder viver em eterna liberdade
e levar consigo, uma coisa na bagagem...
A saudade

Somos um só

Somos todos crianças
Eu e você vivemos de certa forma
Os mesmos sentimentos
As mesmas Experiências

Este poema fala de nós
Do seu e do meu amor
Da sua e da minha dor
Do seu e do meu medo
Dos nossos sonhos
Dos nossos prazeres
Das nossas frustrações

Ao falar da sua e da minha vida
Este poema tem a esperança de tornar
o meu e o seu viver, mais intenso, mais profundo,
Mais feliz.

Arrogante

Conheço, lugares que você não ira conhecer,
Vi coisas que você não há de ver
Entrei em lugares que você não entrara,
Conheci o mundo, voei por cidades,
Voei Mundo a fora,
Coisa que você não fará,
Pois não és uma Mosca como eu.

Dito de minha mãe

Descrever tudo no mundo é fácil...
Apenas me baseio na velha frase de minha mãe:
"O bagulho é loco!"

Para o alto e avante!

Veja mamãe! O que é aquilo?!
É um pássaro?
É um avião?
É uma jangada?
É uma granja?
É uma balsa com hipopótamos?
...
Ah! É só um homem que voa...
¬¬

João e o pé

João era alguém infeliz.
Não sabia os prazeres da vida.
Queria desfrutar do que a vida poderia lhe dar.
Mas sendo como era não havia escolha.
Viver trancado onde vivia era horrível!
Era fedorento e desagradável.
João, João...
Sua vida é triste mesmo!
E ainda é odiado...
Afinal, não deve ser nada bom
Viver num pé,
Sendo uma micose...

Respire, respire no ar (Breathe, Breathe in the air)

Tum tum, tum tum
Um som de coração tocava Pink Floyd
No velho toca-disco do pai
Olhos atentos! La vém, Lá Vem"
Quando uma mulher gritava:

-haaaaaaaaaaaa

Vamos, se esconda embaixo da mesa!
Entra bateria;
Entra contra-baixo;
Entra teclado;
Acordes menores de guitarra (sim, aprendi a tocar a música alguns 13 anos depois);
E aquela dissonância melódica me batia os ouvidos aflitos
Olhava o homem, na frente do antigo "aparelho moderno"
Cantando de olhos fechados:

Respire, respire no ar
Não tenha medo de acreditar

Palavras e visões que não esqueço
Crescer com certa formação, ao meu velho homem sempre agradeço

Vem da sua mente.

Quem disse que tamanho não importa?
Tamanho importa sim e mais do que você imagina!
Se for muito grande pode atrapalhar, incomodar,
Mas se for muito pequeno, ai sim pode se tornar um problema,
O ideal, é não ser muito grande, mas notável, que de um certo prazer ,
ao senti-lo,
Por isso controle o ciume.

Um dia qualquer

Hoje poderia ter sido um dia comum, igual a todos os outros.
Bem, no início até foi bem comum: fui dar uma banda com uns amigos, descontrair e ver eles beberem, afinal eu não bebo.
Por um momento senti aquele cheiro "doce" no ar, um cheiro que não é preciso nem fumar maconha pra saber que é ela quem está pegando fogo.
Barriga vazia, vontade demais e haxixe demais. Subia pro cérebro. Mais rápido do que qualquer outra coisa.
Eu já ria sozinho e começava a viajar escutando música no mp3. Foi nesse momento que sentei no chão (estava mal), escorei-me na parede e vi aquela mão descendo em câmera lenta com uma ponta fumegando.
Parecia um filme em primeira pessoa, um filme onde eu era o ator principal. Com certeza não era uma comédia. A música que tocava, que até esse dia era minha música preferida, me deixava ainda mais estasiado, calmo, e consequentemente eu via as coisas ainda mais em câmera lenta...
A fumaça saia da minha boca em forma de véu, devagar. Passei...
Percebia que já não estava muito bem, que já estava delirando. Percebi que precisava ir pra casa.
Levantei, me despedi, e tentei caminhar... consegui.
O caminho até minha casa era muito longo, longo demais pra ir sem surtar diversas vezes antes de sequer abrir a porta.
A música, que era minha preferida, já não me fazia bem. Ao contrário, me deixava louco!
Sentia que se eu não desligasse aquilo eu teria um ataque de nervos. E aquilo era só o começo.
A princípio pensei que iria morrer (poderia até ser viajem minha, mas depois de algumas quadras já se tornava verdade).
Comecei a delirar em lances que via na televisão, como outros caras que eram viciados, ou coisas do tipo.
Os pensamentos que já haviam passado por minha cabeça, já haviam voltado milhares de vezes.

(Nessa parte eu juro que eu poderia escrever um livro sobre cada coisa que passou pela minha cabeça)

Enfim cheguei em casa. A chave não entra na fechadura. Devia ser a a chave errada. Mas não era, pois após tentar todas as outras e fazer muito barulho em meio a madrugada, a porta abre com a primeira chave que tentei.
Tento dormir.
Não consigo.
Ao fechar os olhos sinto que se eu apagasse, não dormiria. Mas sim desmaiaria e não saberia se acordaria de novo. O motivo? Meu coração batia cada vez mais rápido.
Minha mãe dormia. E eu, fui até a cozinha, tentei comer alguma coisa para levantar a pressão. O sal já ia direto pra baixo da língua. Na verdade nem sei se estava com pressão baixa. Sei que não adiantou.
Tentei dormir.
Não conseguia ainda.
Sento na cama, deito, viro pro lado... e nada.
Decidi tomar um banho.
Saio do banho e ainda nada de dormir e meu coração parece que vai saltar pela boca!
Era incrível! Pensei no que poderia fazer...
Decidi pedir ajuda. Minha mãe era a única escolha.
Ao acordar ela, digo que estou passando mal...
Ela pergunta se eu bebi. Respondo que sim... mas logo confesso que não ao ver que cada vez ficava pior...
Ela me leva rua tomar um ar. E escorado na grade da porta, ao lado dela, sentia-me como num filme em que o filho decepciona profundamente sua mãe.
Senti que deveria falar.
Ela pergunta o que eu usei. E então respondo nada mais que a verdade:
- Fumei! Maconha! Muita maconha!

Não acreditei no que eu mesmo havia dito!

Se alguém tivesse filmado, daria uma bela cena triste de algum filme nacional.
Ela me leva pra cozinha, me dá algo pra comer, e então... MEU CORAÇÃO DISPARA COMO LOUCO! Tudo indica que cada movimento meu poderia ser fatal!
Minha mão ao ver a velocidade em que meu coração batia, fica desesperada.
Ela chama meu irmão mais velho. E ele, como sempre, se recusa a vir ajudar em algo.
Ele só decide vir, ao ouvir eu gritar no telefone, dizendo que ia morrer (só assim pra ele entender a gravidade da situação).
Depois que ele chegou (demorou um pouco) conversamos muito, e meu coração voltou a enlouquecer.
Foi aí que eu disse pra ele:
- Cara, eu vou morr...

(desmaiei)

Na parte que me lembro após isso, sei que vomitei, e só então comecei a melhorar.
Depois de muita conversa com meu irmão, decidi que não faria mais aquilo. Não queria aquilo pra mim...
E nem pra você.

Jary

Já eram 10:33 da manhã,
A essa hora deveria estar no ponto de ônibus.
Corri o máximo que pude para chegar na hora.
Mas pouco adiantou,
Pois o ônibus já estava saindo.
Apressei ao máximo, já havia gritado.
E o ônibus parou.
Enfim consegui alcança-lo e subir.
Fui ao cobrador e perguntei:
- Esse passa ao final da Protásio?
(Aí percebi que estava no ônibus errado)

1 de dezembro de 2008

Mundano

Piercing , tatuagens, cabelo grande
Rock pesado, saia curta,
Homosexualismo, vida largada
Fumo, bebo e até me drogo,
Oi prazer eu sou "MUNDANO"

Reversão

Enquanto, tu me xingas, com tuas palavras fortes
que me ferem como fogo,
Eu vós digo palavras doces
que lhe acalmam a alma
Enquanto tu gritas ferozmente,
Eu te peço calma
e te abraço intensamente,
Enquanto tu me ganhas dia-a-dia com teu carinho,
Eu me afasto com medo de te amar
Enquanto tu me olhas atenta,
Eu desvio o olhar.

Reflexões

Vez em quando, repenso.
Paro, reflito e revejo.
Sinto, ouço e relembro.

Será que ao invés disso,
Não deveria fazer algo novo?

E ao invés de pensar no que já se foi,
Devo sentir o presente, o agora.
Pois se não senti-lo enquanto se passa,
Logo mais ele vai embora...

30 de novembro de 2008

Pealando

Lenço vermelho;
Bombacha e guaiaca.
Inicia o pealo.

Bota de couro;
Melena no vento.
Sob o cavalo.

Rédeas em punho;
Freia o bagual.
Caíra no valo.

29 de novembro de 2008

Dance

Canso quando danço,
Mas quando danço eu vivo,
Vivo momentos de euforia,
Vivo momentos de alegria
Mas quando não danço
Eu vejo,
Que o mundo não é so dança,
Vejo, acordo, penso e recordo
De momentos não felizes, que passei
Enquanto não dançava
Por isso
Dance.

28 de novembro de 2008

Os 4 P's

Pintou o pato
Que apita o pito
Piando vem o pinto
Parando pro pato
Piava um piu-piu
Puta que Pariu!

Pisei na merda

Do modo que boto,
Eu calço a bota.
No calço da porta,
Onde raspo a sola.
A porta se fecha, encosta.
E ainda sobra na sola
Um resto de bosta.

Ferrugem

É necessária a ferrugem: não basta ser afiado!
Senão dizem sempre de ti? " É muito novo!"

Sorrir até que ponto?

Sorria, sorria o tempo todo,
Sorrir faz bem, sorria ao padeiro
Sorria ao açougueiro, Sorria para o mundo,
Sorria seu hipócrita, pois enquanto você sorri,
Muitos choram.

Desgosto

Gosto da vida, desgostando do desgosto
Pois gostar, do desgosto, é desgostar da vida
E se desgostar da vida, é gostar do desgosto,
Prefiro não gostar do que gosto.

Aprendo errando

Depois de sentir-me cansado em procurar
Aprendi a encontrar
Aprendi a observar as pequenas coisas,
Depois de ignorar coisas grandiosas
Depois de ter enfrentado guerras,
Resolvi implantar a paz
Depois de viver desgostos,
Comecei a adoçar a vida
Depois de cair um tombo,
Aprendi a não mexer na casquinha.

27 de novembro de 2008

Messenger #1

Márcio diz:
Oi meu amor!
Márcio diz:
Amor? Cadê você?
Márcio diz:
...
Márcio diz:
Amor! Eu sei que vc tá online...
Márcio diz:
¬¬'
Cláudio diz:
Desculpe a demora bofi!
Márcio diz:

Evolução?

A humanidade vive em competição,
Prédios destruindo a natureza
Capitalismo predominando com frieza,
O cinza toma conta do verde,
Descaso, miséria fome e sede
Neo-liberalismo, monocultura, padronização
O aquecimento global já não é ficção
A burguesia cresce, enquanto o proletariado empobrece.

Destino

Você nasceu pra mim,
E eu nasci pra você
Teriamos então nosso destino traçado?

Analfabeto

Fásil falar de paichão;
Difícil mesmo é discrever o que cinto.
Cinto um aperto no peito,
(suspiro)
E me perco no teu olhar.
Mesmo sem saber escrever,
Ainda tenho o direito de sonhar.

Partes do que sou

Quero escrever versos,
Versos de amor, de ironia,
Quero preencher todos os espaços,
Desta folha vazia.

Quero, ao escrever,
Ser completamente livre,
Lembrar-me do que quis ter,
Mas que nunca tive.

Quero com estas tantas palavras,
Que escrevo sem encontrar fim
Encher além destas folhas brancas,
Os espaços imensos que há em mim.

Lembrar, esquecer
Dormir, acordar,
Desejar morrer,
E depois lamentar.

Senti a presença da solidão,
Ri as lágrimas que não chorei,
Agindo com o coração,
Sempre errei.

Escrevo partes do que sou,
E dedico-as a ti,
Mas só eu o sei,
Não sairá daqui.

Todas as lágrimas foram enxutas,
Neste pedaço de papel, que agora é um pouco de mim,
As minhas palavras sentidas, doces ou brutas,
Assim como eu chegaram ao fim.

Escrever, escrever não importa oque

Não escrevo apenas com a mão
Escrevo com o pé,
E com o coração
Não escrevo apenas com a mão,
E sim com cada vento que enche meu pulmão.

Principios

Mais vale andar na ponta do pés
Do que de quatro!
Mais vale passar pelo buraco da fechadura
Do que por portas abertas
Mais vale enfrentar um desafio,
Do que fugir dele!
Mais vale amar e ser amado
Do que amar sendo rejeitado!
Mais vale correr para alcançar
Do que perder por caminhar
Mais vale segredos guardar,
Do que sair e fofocar
Mais vale tanta coisa
Que vou fazer e não falar.

O difícil

Caso pudesse escolher livremente,
Gostaria de um lugar só meu
Em meio ao Paraíso
E, melhor ainda, à sua porta!

21 de novembro de 2008

O menino e a Pipa

Um certo menino de rua tinha como diversão ver sua pipa flutuando no ar.
Adorava observar a maneira como ela pairava sobre as arvores, balançava sua rabiola ao vento, e isto lhe deixava hipnotizado durante horas de seu dia.
O menino não sabia o porquê de ficar tão fascinado com tal brinquedo tão rústico.
Um dia um homem ao ver o menino sentado no chão ao ver sua pipa pairar no ar, sentou-se ao seu lado.
O menino então lhe disse:
- Linda não? Adoro o jeito que ela fica voando! É incrível não acha?
O homem ficou admirado no modo como uma simples pipa deixava um menino tão admirado em tempos de tecnologia. Achou simplesmente incrível ver aquilo.
- É realmente incrível - disse o homem ao menino - mas existem brinquedos muito mais incríveis do que uma simples pipa, mas acho que você não deve conhecer.
- Sim, eu conheço estes brinquedos - retrucou o menino - e só porque vivo na rua não significa que não os conheço.
- Então o que sua pipa tem de tão impressionante? Perguntou o homem.
O menino novamente olho a pipa, suspirou profundamente e com convicção disse ao homem:
- Minha pipa me faz lembrar muitas coisas, me faz perceber muitas coisas. Lembra o olhar de uma mãe, que mesmo sem ter uma, sei que é um olhar sereno e calmo ao olhar um filho. Me faz perceber que em meio ao tumulto, ainda existe paz em pequenas coisas. Mas principalmente, lembra-me de que este é a única coisa que tenho como distração antes de dormir embaixo daquele banco ali...

Levantei e...

Mal havia acordado e vi no espelho um rosto que não era o meu.
Fiquei tentando entender o porquê fiquei olhando aquele rosto.
Esfreguei os olhos, empurrando remelas para os lados.
Enfim estava realmente acordado e pude ver que o espelho não estava virado diretamente para mim.

Olho no olho

Vez em quando me vejo em meio ao seu olho
Em sua pupila dilatada, a me olhar em dia claro em meio a sombra
Posso ver em teu olho cor de mel que meus lábios se movem
Vejo seu movimento até desaparecerem do reflexo de seu olhar
E tocarem os seus lábios

Porquês #1

Perco o fôlego sem saber porquê
Também, buscar explicação pra tudo,
Por quê?
Isto porque apenas o perco
Por que preciso exercitar minha gramática
Resultando numa leitura mais didática.



-> Aprender a usar os Porquês é bom... e é tbm bom exercitar.
:D

20 de novembro de 2008

A verdade vem aos pedaços

A vida se resume na sinceridade
Em todos os fatores,
E a vida sem sinceridade e humildade
é um caminho para a escuridão,
Por isso seja sincero e ande sempre
Na luz.

Pensamentos ao vento

Você sabe o que é o verdadeiro amor?
O verdadeiro amor é aquele que o tempo
não apaga, e que a maldade não destrói,
O verdadeiro amor não é uma coisa de um dia,
são atos, palavras e atitudes que se solidificam no tempo
e não se apagam jamais, que fica para sempre como tudo
que é feito com o coração.
O verdadeiro amor é aquele que se sente presente, mesmo quando ausente,
Que vem para o seu lado, quando você está sozinho, e nunca nega um sentimento sincero.
O verdadeiro amor é aquele que sempre estará do seu lado, até nas horas difíceis,
O verdadeiro amor fica feliz, quando vê a outra pessoa contente, que chora com você,
quando esta triste.
O verdadeiro amor, o verdadeiro amor você saberá quando chegar.

Dependencia

Amo o silencio,
Porque o silencio me fala de você
Amo a natureza,
Porque ela me lembra de você
Eu amo a solidão,
Porque ela me aproxima de você,
Eu amo as recordações
Porque nelas recordo você
Eu amo a musica,
Porque ela me traz saudade de você
Eu amo a saudade,
Porque na saudade eu identifico você
Eu amo o vento,
Porque no vento eu sinto você
Eu amo o universo,
Porque nele existe você
Eu amo a vida,
Porque minha vida é você.

Enigma das estrofes

Quando agente percebe
ele já está entre nós
Nos corroendo, e o mesmo
tempo nos mantendo...

...Mantendo refém da ignorância
e nos fazendo resistir a intolerância

As vezes ele machuca , maltrata
deixa triste e até mata
Porque nos fazer sofrer?
pois assim só faz o meu, o nosso coração estremecer...

Do que adianta senti-lo
se não posso desfruta-lo, aproveita-lo
viver de carinho

só dando mimo

O que posso fazer para sem brigas à ter?

19 de novembro de 2008

Music

A musica tem o poder de te fazer sentir e,
viver as coisas,
A musica é um tempero,
potencializa
A musica é celebração.

Atração

Perdido num mundo louco
onde a loucura nos encontra
e onde a perdição nos procura.

Reclamações e Desabafos

Se você, se você pudesse sobreviver
Tentando não mentir
As coisas não seriam tão confusas
E eu não me sentiria tão usado
Mas você realmente sempre soube
Eu só quero ficar com você

Oh, eu pensava tudo de bom a seu respeito
Eu achei que nada poderia dar errado
Mas eu estava errado, eu estava errado

eu jurei, eu jurei que seria sincero
E, querida, você também
Então, porque estava segurando a mão dele?
É desse jeito que nós ficamos?
Você estava mentindo o tempo todo?
Isso foi só um jogo pra você?
Se você, se você pudesse voltar
Não deixar isso queimar, não deixe isso desaparecer
Tenho certeza que não estou sendo rude
Mas é só sua atitude
Está me rasgando em pedaços
Está arruinando tudo.

Mais uma de amor

Lagrimas do céu fazem teu corpo molhar
Nossas mãos pro alto, como se fossem voar
A felicidade incide sobre nosso olhar.

Mini verso

Vivemos numa vida
Onde o tudo é o todo
onde o nada é tudo
o tempo todo.

Sucinto

Um belo dia Ele se pôs a caminhar, pensar na vida.
Mil idéias, mil pensamentos em sua mente. Ela estava presente em cada um deles.
Ele tentava pensar menos. E conseguia. Cada vez menos pensamentos lhe vinham a sua mente. Mas em cada um ainda estava lá: Ela. Os pensamentos diminuíam cada vez mais, e ela ali, presente, imponente e protagonista de cada palavra que lhe vinha em mente.
Enfim os pensamentos se iam embora, e com isso Ele esperava não pensar mais nela. Como é impossível não pensar em nada, tentava chegar em um pensamento o mais simples possível. Deste modo as chances dela estar presente seriam quase nulas...
Que esperança tinha ele! Chegou no pensamento mais enxuto, mais conciso de todos. Era apenas uma palavra então. Apenas uma! Que se repetia interminavelmente em sua mente. A palavra, o pensamento mais direto de todos: "Ela".

16 de novembro de 2008

Nem tudo são flores...

Era uma vez um garoto que se chamava João.
João amava Maria, que amava João, que daria a vida por Maria.
Maria quis provar o amor de João, que lhe deu uma flor.
Maria não se contentou e quis algo maior, que fosse comparável ao amor que tinha por João.
João então lhe deu uma dúzia de flores, todas perfumadas. Maria adorou o presente, mas queria mais. Dizia querer algo que fosse tão grande quanto o amor de João, queria mensura-lo.
João não sabia mais o que dar à Maria, pois ela queria algo que fosse comparável ao seu amor.
João ao repensar diversas vezes sobre isso, começou a desconfiar do amor de Maria, e achou que talvez não a amasse tanto assim.
Resolveu de vez qual seria o seu presente então.
Foi à casa de Maria, e lhe entregou uma caixa, menor que uma caixa de fósforos. Ela abriu, e viu que dentro havia um algodão com um pequeno grão de feijão bem preto.
Ela ficou intrigada sobre o significado do presente.
João então olhou em seus olhos e disse:
- Este feijão é símbolo de meu amor por você.
A moça quase chorou ao ouvir tal coisa.
Ele então disse:
- O feijão significa perfeitamente, pois, assim como meu amor, cresce muito rápido, até em um simples algodão. Porém, assim como o feijão, meu amor brotou rápido mas também morreu depressa, pois o valor do verdadeiro amor, não se mensura, não se pede, e não se compra. Por este motivo lhe dou um feijão, pois recusou a rosa, que com sua beleza descrevia sua doçura.

...


-> Nem tudo são flores...

5 de novembro de 2008

Em meio a festa

Em meio a festa, eu a vi.
Ela me olhava intensamente,
quase me fazendo uma pergunta.
Eu olhava ela impaciente,
quase imerso em vergonha pura.
Resolvi ir a seu encontro e ela me estendeu uma mão,
com o drink que eu havia pedido
enquanto a outra me cobrava sobre o balcão.

4 de novembro de 2008

A Pinga

Se o pingo que pinga,
Pinga na pia;
Acredito que não seja pinga.
Se acaso fosse, pingava no copo;
E sem dar um piu,
Não resta nem mais um pingo
No copo vazio.

Copo D'água

Viro e volto, revolto.
Lembro de um olhar sereno
Que me olha
Que me engole
Deixo então de olhar a água
E quase me afogo em mais um gole.

Disperso

E em forma de verso, eu converso
Estando completamente submerso
Nesse amor que me vira e desvira
Ao lado inverso de cada verso

12 de outubro de 2008

Micro conto #3

Fiquei perplexo quando olhei pra ela, estava de quatro pés em cima da cama.
Ofegante e cansada.
Latiu pra mim como ao seu verdadeiro dono.

Micro conto #2

Lhe dei um oi.
Me deu um tapa.
Olhou pra mim.
Me chamou de canalha.

De Volta Cambada!

Ausente muito tempo, recomeço neste momento.
Uma vida, um texto, uma identidade.
Estou de volta.

Vida fútil,
um texto inútil,
uma verdade cansada.

De volta ao blog da bobagem poetizada.

6 de julho de 2008

Em sua espera

Hoje apenas o que sou.
Mas espero que ainda sejas,
Aguardando o dia em que seremos.

Sinto Muito

Quem nunca mentiu?
Talvez eu.
Pois meus olhos não confirmam o que digo.
Fingir que amo alguém,
Certamente não eu consigo.

Bobagiando

Senti vontade de escrever,
Comecei a amontoar palavras.
Demorei um pouco a entender,
Culpa de minha mente fechada.
Até que pude ver,
Que estes versos não me diziam nada.

Microhistóriademorsemfim

Ela recebeu flores.
As flores murcharam.
E os dois se separaram.

Nostálgico #1

Pense em alguém neste momento.
Alguém que te daria flores,
Alguém que gostaria de estar ao seu lado.
Com toda a certeza pensou demais,
E acabou pensando errado.

Não posso lhe culpar por isso.
É algo típico do ser humano,
Amar alguém,
E não dar valor
Ao que realmente tem.

15 de junho de 2008

Amargura

O começo é sempre felicidade.
No meio acabo encontrando a fidelidade,
Seguida pela atenção, e afinidade.
É uma pena que no fim, solene,
sobre saudade, perene.

14 de junho de 2008

Bicicleta

A vida para mim é simples;
Andar de bicicleta é um exemplo direto:
Primeiro aprende-se o equilíbrio,
Depois aprende-se a andar sem mãos.
Cair é apenas parte do trajeto.

12 de junho de 2008

Dia dos Namorados

Dia dos namorados?
Comemore com alguém!
Se a vida é bela como dizem,
Por quê ainda estou sem ninguém?

11 de junho de 2008

Para o meu amigo.

Tava afim de escrevinhar e deu nisso aí.Nem dá bola que são só um monte de palavras misturadas sem intensão nenhuma.Apenas comecei a digitar e foi tomando cada rumo um mais sem noção que o outro.
taí então:
tcham tcham tcham...
Que rufem os tambores e chorem as guitarras.
Levantem os vestidos e abaixem as calcinhas!

heheX)

pronto:

Bom,

Bem...Bá. Bavária é uma cerveja muito ruim sabiam?Sabor pesado, não tem aquele romance que você sente ao tomar uma cerveja daqui. Mulher também, pode ter um amargo muito esquisito, se você se sente tranqüilizado por ela sente tesão, e quando tá com tesão demais se sente tranqüilizado. Não sou um exemplo muito bom pra falar disso, pois tive poucas mulheres em minha vida, e destas poucas, foram minoria as inesquecíveis, mas um dom Deus me deu e agradeço muito a ele: Consigo analisar as pessoas e ver o que elas podem oferecer de melhor e o que nunca vão poder oferecer. Partindo desse pressuposto você aprende a lidar com as pessoas, e principalmente com as mulheres, à sua volta e isso facilita muito a sua vida. Na real, só pita na vida dos outros quem não sabe cuidar da sua própria né?! É. E eu sou um exemplo muito verdadeiro disso, pois tô sempre correndo atrás da banca e nunca consigo agarrar nada, a não ser quem me agarra, mas isso é história pra um outro escrevinhamento (se essa palavra existir, me recuso a procurar no Google ou no Aurélio).Como dizia um velho deitado lá em Viamão: O homem que sabe lidar com as pessoas e fazê-las se sentirem seguras sabe a chave para tranqüilidade.Procuramos independência, ser livres pra voar, sair sem destino, trocar um cheque, tomar um pileque... O que mais você quer?

E mais um sopro de alegria.

A cada vento sinto um tento.
A cada momento um invento,
será que aguento viver sem argumento?!

Pode?!

Se pois pode, poderá? Não sei.
Se puder avisa que te conto o que inventei.
Se ir informa, pra não me deixar aqui.
Porém se não informar me deixa, que não quero mais sentir.

10 de junho de 2008

Tem mais o teu perfil.

Não sei se faço a tua cara,
ou se faço à minha imagem.
Não sei se morro por milhagem
ou se estranho a cada idade.
Não sei se jogo por favores ou
se morro por amores, mas sei
que cabe mais a ti do que a mim:
sentir todas estas dores.


Achei que is ficar mais legal aqui, bobagem poetizada
e climatizada.

8 de junho de 2008

Seco

Pois bem,
Pois mal.
Três beijinhos,
E lhe dou um tchau.

Dramatizado

Parar é hábito.
Pensar é praxe.
Agir é instinto.

Por quê será que não paro
de pensar
em te agarrar?

5 de junho de 2008

Primeira Contribuição.

Poesia,

Venho dizer-te que ajuda muito em minha vida e que já és imprescindível.
Sinto muito quando me ausento e quando não posso zelar por ti o dia todo.Todo dia.
Queria expressar em palavras o que sinto, mas sinto que não tenho expressões para
palavrear o que quero. És muito inteligente, criativa e preponderante.És completa, sucinta,
toda toda e com tudo excita.
Adoro pensar em como te deixar mais perfeita e em como te compensar.
Saiba que o transcrevo é exatamente o que sinto e também o que minto.Minto para teu bem,
para teu completamento, mas não minto quando acendo o incenso.


Atenciosamente,



Eu!

25 de maio de 2008

24 de maio de 2008

Simplificante

O poema se resume em teu sorriso;
Teu sorriso se resume em um suspiro;
Um suspiro se resume num olhar.
O olhar vira sonhar,
E se resume em poemar.

Pleonasmo

Entrei pra dentro, do coração;
E do fundo, saí pra fora,
Pra realidade, de felicidade!
Sem fundamentos, entendo o que me vem;
E vejo a tristeza que vai
Embora.

19 de maio de 2008

Filosofia desvairada

Gostar da vida?
Adoro!
Ainda mais com gotas de limão.
Pois se uma vida boa fosse
Totalmente doce,
O que seria do chimarrão?

Anedotado

Você sabe quantos versos
Preciso para fazer poesia?
Se me perguntas, te direi:
Nenhum.
Então apontarei ao teu sorriso.

Ficarás intrigado;
Meio tumultuado,
Talvez alienado;
Quase desnorteado.
Então irá descobrir,
De modo envergonhado,
Que um poema
Nem sempre é bem pensado;
Mas um sorriso,
É uma forma de ser publicado.

13 de maio de 2008

A busca

Eu quero me perder sem saber voltar
Olhar pro horizonte e me por a caminhar
E a cada passo, distancio-me de casa
Como se fizesse do mundo, sim, mundo, meu lar


Apalpar o inaudível, enxergar o invisível
Degustar o inodoro, superar o irresistível
Enlouquecer de sanidade, beijar a realidade
Entorpecer-me de paixão, mentir à falsidade


Descobrir que quanto mais fugaz
Mais à orla da verdade

E logo ao retornar, repousar às gargalhadas
Aguardar o regresso da saudade
Que me desafia a partir novamente
Em busca fiel à felicidade

12 de maio de 2008

Frase #2

"Pensar juvenil, nem sempre é pensar na vida como uma eterna brincadeira. É achar esperança nas coisas simples..."

11 de maio de 2008

Frase #1

"O mundo a minha volta, não é o mundo em que pretendo viver, mas sim o que pretendo mudar."

28 de abril de 2008

"Sinto-me um barquinho, e a vida um mar terrível."
João Guimarães Rosa(1908-1967). Escritor mineiro.

-->Eu? Sim, eu já fui dito como apenas mais um por aquela que já foi minha.E também já fui dito como o melhor por aquela que desprezei.
Já deram um (Shift + Del) em mim várias vezes de uma vida, já amei, já perdi, já enganei, já menti. Mas o homem também sente saudade, também sente-se incompleto. Um homem de espírito jovial é também aquele que lamenta profundamente não ter escolhido tal rumo, não ter tratado certa pessoa como deveria, assim como também é aquele que sabe admitir os próprios erros, mas acima de tudo concerta-los.
Muitos já teriam desistido da leitura na minha primeira linha, muitos lerão até o final para catar algo sobre minha maneira de pensar, mas o principal é que a pessoa que eu mais queria lendo isto, esta com certeza não lerá.
Tenho certeza de que meus sonhos se tornarão realidade, tenho também certeza de que somente após verei que não eram meus verdadeiros sonhos.
Veja-me por este ângulo: Sou um cara misterioso, sou um cara desprezado por muitos, quisto por outros e compreendido por muito poucos, acredite!
Tendo vivido ainda pouco, tendo sofrido mais que pouco, também tenho aprendido e teorizado muito longe deste pouco.
Agora depois disso tudo, reflita sobre o que leu(ou acha que leu), veja o que entendeu, e pergunte a si mesmo: Quem é esse cara? Pensa que sabe algo sobre a vida pra ficar filosofando...
Mas acredite, sei apenas o básico para que eu entenda que tudo nessa vida é resultado de pequenas atitudes, situações, momentos, entre outros fatores, que encaminham nossa vida a um certo rumo.(Putz! Mas esse cara é enrolão eim!)
Calma, já termino, e dizendo o seguinte:
"Não importa a sua escolha ou caminho, o ser humano sempre terá algo a questionar."

...

21 de abril de 2008

Sem inspiração

A catar palavras,
escrevi este verso.
Apesar do efeito perplexo,
quem lê fica algum tempo submerso;
Percebe num poema nada complexo,
estrofes e rimas de gramática simples.
Tendo base na fonética,
inspiração na poética,
para expor nada mais do que estética.

13 de abril de 2008

Breve Explicação

Sabes como se faz poesia?
Era o que eu imaginava.
Mas um dia saberás,
que para fazer um poema,
desliga-se da hipocrisia.
Esta então, apenas
um contraponto em pensamentos;
Vê então a beleza já escassa,
Deste mundo partido em castas.

9 de abril de 2008

Restos

Restos, Restos, Restos


Que jogues meus restos ao mar
Pois assim, talvez reaprenda a nadar
Que jogues meus restos ao vento
Para que, os mais belos pássaros, me ensinem a voar

Que jogues meus restos ao chão
Passo a passo, me reensine a caminhar
Que Jogues meus restos ao céu
Para que assim, eu aprenda a pairar

Que não jogues meus restos ao fogo
Para que minha esperança não se faça queimar
Que junte meus restos e acolha consigo
Para que um dia, um dia eu possa me reencontrar

Acolha meus restos, faça-me aquele seu olhar
Em que eu nado, vôo, caminho, pairo
E mesmo que ainda esperançoso
Ainda consiga viver, respirar


Gostaria de informar-lhes que foi um prazer imensurável poder escrever para este blog, espero que tenha feito grande contribuição com este poema, por mim escrito, a cerca de 2 anos...

Grandes Abraços...

8 de abril de 2008

Interior de mim

Certo dia dia olhei-me às avessas.
Enxergando dentro de meu ser,
Vi ruelas sujas, becos e vielas.
Refletí segundos sobre o que havia visto,
Concluí que havia apenas,
O que eu me tornara em meio a tanta melancolia.
Resolvi então rever o visto;
Senti-me à vontade,
Pois estava vendo a mudança florindo.
Quanto as ruas sujas,
Deram lugar às praças.
Quanto aos tristes becos,
Transformam-se em campos e pradarias.
E as vielas mortas,
Viram flores nunca vistas.
Assim percebi a beleza,
Em suas variadas formas;
E que nossa vida, mesmo que sofrida,
Sempre dependerá,
De nossa felicidade reprimida.


--> Pois é, nem tudo que escrevo tem fim em tristeza...

Olho seu...

Olho seu que me deixou louco,
Olho seu que me fez esquecer tudo,
Olho seu que me apaixonou!
Olho seu que me fez enxergar a vida em sua beleza....

Olho seu que neste momento, volta a me fazer enxergar,
Porém desta vez o medo, de te perder,
Olho este que me deixou mais apaixonado,
Porém desta vez em sofrimento,
Olho seu que me fez esquecer tudo,
Porém desta vez me traz insegurança e ansiedade, nostalgia!
Olho este que volta a me deixar louco,
Porém estou louco por não estar ao teu lado,
Louco de ansiedade, medo, sofrimento, insegurança, ansiedade, mas principalmente...

DE AMOR!

Amor

Amor de hoje, amor sincero;
Amor antigo, que tens em memória;
Nosso amor de ontem, já nem lembro;
Não devo lembrar do que passou,
Mas lembrarei do que virá
Assim espero.

Minha filosofia não mais se contém agora;
Pois sei que minha índole assim melhora.
Seu beijo hoje voltarei a te-lo;
Pedí socorro a muitos
Mas poucos atenderam meu apelo;

Sei que não me amas mais,
Ao menos não como antes;
Mas também sei que,
Voltará a me amar mais adiante.

Minha vida assim entregue;
À pessoa que mais amo.
Amor este que sinto e sou atento,
Para não mais acabar em prantos.


--> Momento de nostalgia. Deprimente!

Amizade

Aqui, ali ou lá?
Sei lá!
Coisas, momentos e fatos;
De tudo fica apenas relatos.
De uma prosa sublime,
A escutar seu tom;
Ao fim o que quiser me ensine!

Ontem lembrei contente,
Hoje vejo quem me veio à mente;
Desde aquela data, meu mundo não tem idade,
Pois descobri em sua presença,
A valorosa amizade.